cremosescreva • contribua

Blog

FamíliaExercício e alimentação

Exercício e alimentação

Mudança de perspectiva

O primeiro insight aconteceu aquando da terceira gravidez. Após as primeiras análises, percebemos que os níveis de açúcar no sangue estavam elevados, havendo uma grande possibilidade de contrair diabetes gestacional. Comecei a pesquisar, li, estudei, procurei orientação e compreendi que tinha responsabilidade sobre a minha saúde. Percebi também que precisava ser intencional no meu comportamento alimentar e na prática de exercício físico. Glorifico a Deus porque Ele sempre ouve as orações e sempre está comigo, ajuda-me na minha fraqueza e orienta-me nas minhas decisões. Creio plenamente que Deus usou o meu médico de família, que, na altura, por estar acima do peso recomendado, iniciou uma dieta e orientou-me a estudar sobre a mesma e a iniciá-la, caso achasse conveniente. Iniciei a dieta paleo, reduzi nos hidratos de carbono, passei a fazer os meus pães sem glúten, e comecei a fazer jejum intermitente. Estas alterações, aliadas a caminhadas, permitiram-me terminar a gravidez com pouco ganho de peso, glicemia normalizada, evitando a diabetes gestacional. Entretanto, a alteração de hábitos alimentares iniciada foi associada ao meu estilo de vida. Comecei a conhecer os alimentos, os seus benefícios e malefícios. Aprendi a ler e a interpretar rótulos, entre outros. A partir daí, muitos alimentos deixaram de fazer parte da alimentação da minha família. Em contrapartida os vegetais, frutas, gorduras boas, e alimentos biológicos passaram a fazer parte da lista de compras.

Come para a glória de Deus enquanto cuidas do Templo

O Pai, utilizando o apóstolo Paulo na sua primeira carta aos Coríntios , capítulo 10, versículo 31, diz, “…quer comais, quer bebais, ou façais qualquer outra coisa, fazei tudo para a glória de Deus”. Como posso comer alimentos altamente prejudiciais para a minha saúde, quando tenho outras alternativas? Lembro-me de explicar às minhas amigas, num jantar na minha casa, que eu não conseguia oferecer-lhes algo que eu sabia não possuir valor nutricional e que só lhes faria mal. Quando a consciência está aguçada é difícil comer e oferecer certos alimentos que sei que me farão mal.

Por outro lado, sabemos que somos o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em nós, tal como referido em I Coríntios 3.16. Uauuuu! Então, como não cuidar do nosso corpo? Como não fazer boas escolhas? Tudo o que temos é Dele, inclusive o nosso corpo.

Em junho de 2018, após um sonho, comecei a evangelizar e a desbravar a serra de Monchique. Até então não conhecia quase nada. Andamos por estradas turbulentas, subi montanhas, montes e caminhos tortuosos a pé. Foi então que percebi que muitas vezes, para realizar o chamado de Deus também é preciso força, vigor, resistência e isso depende em larga medida do estilo de vida adoptado.

Maternidade está para Força e Vigor

Meses após o nascimento do Noah, uma amiga apresentou-me o crossfit. Já havia tentado natação duas vezes, na gravidez da Beatrice e após a gravidez do Mikhael. Também tentei o ginásio duas vezes, mas não me adaptei. Todavia, o crossfit encaixou-se completamente na minha pessoa, na minha estrutura física e psicológica. Desde 2017 que treino crossfit, embora com algumas paragens. Treinei até as 15 semanas da gravidez dos gémeos.

Após o seu nascimento, em 2020, tive outra tomada de consciência, percebi que também preciso de força e de resistência para exercer a maternidade. As responsabilidades são muitas: um marido, cinco filhos e uma casa para cuidar. A laxidão causada pelo parto é imensa. Se por um lado há mulheres que ficam esqueléticas após o parto, com pouca tonificação e gordura, outras ficam com peso a mais. Ambas as situações dificultam-nos no dia-a-dia, nas tarefas diárias e na auto-estima. Para além disso, para participarmos na vida dos nossos filhos é preciso energia, força, vigor. Tenho cinco filhos, quero brincar, correr, jogar, saltar, caminhar, aventurar-me com eles sem me fatigar. Um dia o meu marido disse-me que gostaria de estar apto para jogar futebol com os filhos quando eles fossem mais velhos. Para isso é preciso vigor, energia, força, resistência, saúde. Isso remete para a prática de exercício físico, com regularidade e intencionalidade, um estilo de vida saudável.

Aceita o processo!

Na vida é necessário colocar intenção em tudo o que fazemos. Mas para colocar intenção, em primeiro lugar é preciso definir os objectivos. Quando se definem objectivos é importante saber que se vai passar por um processo.

Após o nascimento dos gémeos, tive alguma dificuldade em perder peso e não entendia porquê. O Joseph nasceu com 3.330kg e o Enoque com 2.910kg, carreguei muito peso. O parto foi por cesariana e a minha barriga pós-parto estava enorme. Juntamente com as dores que envolvem o pós-parto, que parecem intermináveis, muitas vezes o sentimento de frustração bate à porta e a baixa auto-estima chega perto do seu auge. Era exactamente o que estava a acontecer comigo. Foi quando entendi que, se não aceitasse o processo, sabotaria os resultados.

Vai passar!

E nesse processo, como em todos na vida, é importante contar com Deus. No meu caderno de oração escrevi: “se for possível, ajuda-me a perder peso”. Hoje vejo que Ele ajudou-me. Percebi que andava a comer muitos amendoins e que isso estava a sabotar a minha dieta. Eu creio plenamente que estes pequenos insights são da autoria de Deus. Vivo e sei disso. Na sinceridade do nosso amor, adoração e oração, Ele intervém nas questões mais pequenas.

Procura conhecimento

Existem profissionais de saúde especializados na recuperação pós-parto, desde médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, personal trainer, professores de educação física, entre outros. Nas redes sociais existe um leque de profissionais partilhando o seu trabalho e experiências dentro desta temática é uma questão de pesquisar. Da mesma forma, a literatura acerca das vantagens da prática regular de exercício físico no pós-parto é vasta.

Após ser liberada pela minha médica, iniciei treinos de crossfit com um personal trainer especializado em pós-parto. Contudo, por ter uma diástase abdominal um tanto delicada, parei o crossfit e iniciei exercícios específicos para fechá-la com uma personal trainer, especialista em prevenção e tratamento da diástase, criadora do método diástase na prática. Por estar nesta condição, atualmente, não me são permitidos realizar muitos exercícios físicos. Pelo que agora treino em casa, fazendo o que me é possível. Não desanimo nem reclamo das circunstâncias, uso os meios que tenho para fazer aquilo que consigo, sempre grata a Deus, pois essa é a Sua vontade em Cristo Jesus!

Deus tem a última palavra, nós fazemos a nossa parte!

Sabemos que não temos controlo total sobre a nossa saúde. Mas também sabemos que comportamentos podemos ter para incrementá-la. Quando oro, peço a Deus que me dê força nos músculos, saúde nos ossos e nas articulações, na coluna e em todos os órgãos. Peço isso para que possa desempenhar de forma plena o seu chamado e para cuidar dos filhos que Ele colocou sob a minha responsabilidade. Oro também para que Ele me ajude a fazer as escolhas que me darão mais saúde e peço a Sua bênção sobre aquilo que compro e consumo.

Quero viver a minha vida para a glória de Deus, com a alegria e energia que o Pai me deu! E se for da Sua vontade, ser como Calebe, que aos 85 anos declarou estar tão forte e pronto para a guerra como quando tinha 45 anos (Josué 14. 10,11).

O que não me posso esquecer:
  • Se como para a glória de Deus, como comer em consciência algo que é prejudicial para a minha saúde, tendo outra opção?
  • Sou templo do Espírito Santo, logo vou cuidar do meu corpo da melhor forma possível, adquirindo um estilo de vida saudável.
  • Preciso de força, vigor, vitalidade, saúde para desempenhar a maternidade, então vou exercitar-me, com os meios que me são possíveis.
  • Comer bem e exercitar-me aumenta o meu bem-estar geral, e é isso que eu quero.
  • Adquirir um estilo de vida saudável permite-me controlar o meu peso, tonificar os meus músculos, o que contribuirá para que eu me sinta bem com a minha aparência.

Em todos os processos da minha vida, confio em Deus.

 

Obs.: Texto escrito em português de Portugal. Esta plataforma não obedece ao Novo Acordo Ortográfico e respeitas as regionalidades da Língua Portuguesa de acordo com a origem de suas autoras.

Escrito por -

Abigail é o meu nome, carrega um significado profundo - ALEGRIA. Deus me fez uma mulher alegre, saltitante, enérgica, sábia, cheia de esperança e confiança n’Ele. A minha vida tem estado em Suas mãos. Tenho 32 anos. Sou esposa do Bruno Araújo, meu único namorado, dono dos primeiros olhos a cruzarem os meus, quando deixei o autocarro, buscando o edifício onde teria a primeira aula da licenciatura. Sou mãe de cinco belas crianças. Experimentei a perda na primeira gravidez, mas logo fui abençoada com a Beatrice, a minha filha mais velha, 7 anos. Nove meses depois, Deus disse-me que queria que engravidasse de novo e que me daria o privilégio de educar o Mikhael, um guerreiro de 6 anos, que anuncia todos os dias que não há ninguém como Deus. Passados dezoito meses, quando menos esperava, novamente Deus anunciava que pretendia tornar-nos ricos com o Noah, o valente de 4 anos. A surpresa das surpresas foram os nossos últimos filhos. Concebidos de forma inexplicável e em dupla dose, os nossos gémeos totalmente diferentes, Joseph e Enoque, nasceram há quase 18 meses. Congrego na Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Portimão, Portugal.

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Discípulas de Jesus de diferentes denominações da fé protestante com o propósito comum de viver para a glória de Deus.
Social