cremosescreva • contribua

Blog

TeologiaDicas para a sua leitura bíblica temática

Dicas para a sua leitura bíblica temática

Todos os anos, o Benditas oferece ao público um plano de leitura bíblica. Esse ano, resolvemos lançar o desafio da leitura temática da Escrituras, com o consumo diário de textos em diferentes livros que apontem para um mesmo assunto. Após os primeiros dias de leitura, porém, algumas de nossas leitoras manifestaram dificuldades em encontrar os cruzamentos temáticos entre as referências. Selecionamos, então, algumas dicas para que haja melhor aproveitamento das leituras, mesmo que você se considere uma iniciante em estudos teológicos, tenha acabado de entrar para a fé em Jesus e nunca tenha lido a Bíblia ou seja uma veterana em leituras anuais das Escrituras:

1) Versão da Bíblia não é casamento

Temos dezenas de versões e traduções da Bíblia disponíveis em Português. Recomendamos que você opte pela tradução mais próxima da sua compreensão, ou seja: evite paráfrases (como A Mensagem) e foque-se em usar um texto de fácil compreensão, mas sem comprometer o conteúdo original (paráfrases são interpretações não-literais do texto raíz). Se tem dificuldades, evite traduções muito antigas, cujo vocabulário seja distante do seu habitual. Isso tudo não quer dizer que você deve ser fiel a uma única versão ou tradução. Para uma compreensão maior, consulte diferentes traduções do mesmo texto (inclusive em diferentes idiomas, se você tem essa opção). Às vezes acontece que em uma versão o sentido principal do texto é mais facilmente compreendido que em outras (mesmo que em linguagem contemporânea), ou você percebe “camadas” do texto além das óbvias ao consultar diferentes traduções. 

2) Busque por palavras-chave, mas não se prenda à elas

Uma das principais ferramentas de interpretação de texto é a identificação de palavras-chave. O nome já diz: elas abrem as portas para o significado do que está escrito e para a intenção original do autor. Além disso, esses termos também servem como ponte entre um texto e outro. As palavras-chave, porém, nem sempre vão aparecer literalmente em dois textos diferentes, mesmo que eles estejam tratando da mesma coisa. Além disso, no plano de leitura proposto para esse ano, nem sempre os textos vão ser obviamente sobre a mesma coisa. Tome como exemplo a leitura da primeira semana, em que lemos alguns salmos, os primeiros capítulos de Gênesis e o livro de Efésios. Em determinados dias, os textos tratavam explicitamente do mesmo assunto, como Criação, Queda, Pecado e Aliança. Mas, em outros, era o contexto geral que da carta aos Efésios que conversava com o texto de Gênesis, e não necessariamente a passagem lida no dia. Na quinta-feira, por exemplo, lemos sobre o relato de Abrão e Sarai no Egito em Gênesis e sobre a obediência e honra aos pais em Efésios. Não parecem textos sobre o mesmo assunto, mas quando considerados os contextos dos dois livros, percebemos as convergências, como por exemplo, os relacionamentos familiares (como devem ser e como não devem ser). 

3) Vocabulário Bíblico

Todas as quarta-feiras iremos apresentar uma palavra determinada e seu significado no contexto bíblico em nosso Instagram. Essa série de vocabulário bíblico irá acontecer paralelamente ao plano de leitura temática. Iremos apresentar uma palavra que possa ter ocorrido com maior frequência na leitura da semana ou então um determinado termo que seja realmente mais complexo de compreender.

4) Jesus está em toda Bíblia

Independentemente do texto lido, Jesus é a base para que você compreenda toda e qualquer revelação das Escrituras. Qualquer interpretação da Bíblia que não esteja alicerçada na pessoa de Cristo e sua obra de redenção é uma compreensão blasfema da Palavra de Deus, pois distorce aquilo que Jesus é: o Verbo encarnado. Jesus é a ponte entre o Antigo e o Novo Testamento. Se em Gênesis lemos sobre a Queda, em Efésios lemos sobre a esperança na obra consumada de Jesus: a salvação para todo aquele que crê.

5) É um trabalho para a vida toda

A atitude do nosso coração ao lermos a Bíblia diz muito sobre as frustrações que sentimos quando não a compreendemos. Não faça uma leitura anual ou da Bíblia toda para “cumprir uma tarefa”. Vá a Bíblia assim como vai à mesa: em busca de pão. Alimente-se da Palavra, mesmo quando não consegue compreendê-la totalmente. Esse é um trabalho da vida toda e de todos os dias. Você sempre vai descobrir mais tesouros e essa é uma tarefa que jamais poderá ser “concluída” na sua lista de afazeres. Não tenha pressa ou desista por frustração de não conseguir fazer todas as ligações, interpretações ou aplicações que o texto pede. Quando necessário, busque ajuda, seja de pessoas mais maduras na fé de sua comunidade, seus líderes ou de livros de teologia, como comentários bíblicos.

6) Mantenha um diário de leitura

Essa é uma boa maneira de acompanhar seu progresso ao longo dos anos. Você tem liberdade para colocar em seu diário o que o Espírito Santo trabalhou com você em determinado texto naquele dia, dúvidas que apareceram, etc. É importante pensar também, que, às vezes, a dúvida da semana anterior pode ser resolvida com a leitura das semanas ou dias seguintes. 
 

Discípulas de Jesus de diferentes denominações da fé protestante com o propósito comum de viver para a glória de Deus.
Social