Adolescentes podem e devem ser firmados na sã doutrina

Ninguém despreze a tua mocidade; mas sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza.
1 Timóteo 4.12

Timóteo foi um jovem natural de Listra, uma colônia romana na província da Galácia. Seu pai era gentio e sua mãe judia (Atos 16.1). Desde a infância, ele foi instruído na lei do Senhor por sua mãe e sua avó (2 Timóteo 1.5) e, na juventude, participou das viagens missionárias de Paulo. A intenção dos escritos de Paulo a Timóteo era de atarefá-lo a se opor aos falsos mestres em Éfeso e a consolidar os seus irmãos na sã doutrina (1 Timóteo 4.6). Timóteo era moço em comparação a Paulo e aos presbíteros de Éfeso. Tão grandes responsabilidades poderiam ser outorgadas a um ancião experiente, mas Deus escolheu um simples rapaz. E se Ele escolheu um jovem pecador como nós, isto mostra que adolescentes podem e são capacitados por Cristo a, em suas circunstâncias, não somente ensinarem, mas viverem a sã doutrina.

Entretanto, por medo de rejeição e falta de reverência à Palavra de Deus, a vasta maioria das igrejas cristãs brasileiras oferece a nós, adolescentes, um evangelho de entretenimento e diversão. A sã doutrina citada em 1 Timóteo 4.12 é difamada, transformada em persuasão débil que visa somente agradar seus ouvintes na tentativa de mantê-los na congregação, em um esforço para “encaixar” a mensagem para infiéis infantis não regenerados como se fosse apenas um acessório em suas vidas. Mas não há um evangelho para cada grupo de pessoas: um evangelho para mulheres, outro para idosos e ainda outro para crianças. O verdadeiro evangelho é único e tem poder para salvar aqueles que estão em qualquer fase da vida.

DJ gospel, gospel night e tantos milhares de artifícios e métodos carnais para manter adolescentes na igreja. A geração “Jesus LifeStyle” é despreparada e ineficiente. A maioria dos eventos gospel só atrai meninos espairecidos que não estão nem um pouco preocupados com uma vida de amor pela santidade de Deus, sede de justiça e ódio ao pecado. Grupos de jovens estão mergulhados no mundanismo, e por conseguinte, completamente distantes daquilo que foi arduamente defendido pelo jovem Timóteo em seu ministério eclesiástico.

A juventude cristã brasileira se deteriora ao reter em seu comportamento um espiritualismo falso, que produz e testemunha vaidade carnal e ambição ávida em “ganhar almas”, ao invés de humildemente ser exemplo na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé e na pureza. A jovialidade é geralmente associada à loucura, imprudência e leviandade. Os adolescentes estão gastando o tempo presente de forma insensata e se esquecendo da brevidade da vida (Tiago 4.14).

Mas nós, adolescentes, somos convocados a praticarmos o arrependimento genuíno, a fé na obra consumada de Jesus Cristo e a propagação da verdade proveniente do Espírito Santo, através da nossa boca e das nossas vidas. Cristo não está preocupado com a nossa maturidade física, mas sim com o amadurecimento da nossa alma. Quando concluímos que teologia é algo exclusivo a adultos, pastores ou renomados teólogos, demonstramos apenas covardia, preguiça e completo desprezo ao evangelho. Negligenciaremos nosso tempo com recreação? Negligenciaremos aquilo que é capaz de tornar-nos sábios para a salvação mediante a fé em Jesus Cristo, desonrando tão grande benção?

Um adolescente sem teologia é um adolescente morto.

E assim como Timóteo, os cristãos de todas as idades, em todas as nações, tribos, povos e línguas são convocados a darem exemplo na sã doutrina que os vivifica. O verdadeiro evangelho é poderoso para converter pecadores aos pés de Cristo. Ele não necessita de nenhum método. Ele não necessita de nenhuma tática humana.

Que o Senhor nos ajude a amarmos o estudo da sua palavra, para glória e louvor dele. Que estejamos sempre preparados para responder a qualquer um que nos pedir a razão da esperança que há em nós (1 Pedro 3.15), de acordo com a poderosa e infalível sã doutrina. Que, como adolescentes e jovens, sejamos imitadores do nosso irmão Timóteo, não somente aos nos levantar para defender as verdades das Escrituras, mas ao vivê-la na prática, com a idade que temos, no local em que estamos e no tempo presente em que vivemos.

O propósito é que não sejamos mais como crianças, levados de um lado para outro pelas ondas, nem jogados para cá e para lá por todo vento de doutrina e pela astúcia e esperteza de homens que induzem ao erro. Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo.
Efésios 4.14-15

Pregue a palavra, esteja preparado a tempo e fora de tempo, repreenda, corrija, exorte com toda a paciência e doutrina. Pois virá o tempo em que não suportarão a sã doutrina; ao contrário, sentindo coceira nos ouvidos, juntarão mestres para si mesmos, segundo os seus próprios desejos. Eles se recusarão a dar ouvidos à verdade, voltando-se para os mitos.
2 Timóteo 4.2-4

Como pode o jovem
manter pura a sua conduta?
Vivendo de acordo com a tua palavra.
Salmos 119.9

3 comentários sobre “Adolescentes podem e devem ser firmados na sã doutrina

    1. Oi, Tereza. As informações sobre a autora estão ao lado do artigo (se você acessar o site pelo computador), ou ao final do texto (se ler pelo celular). A autora é a Ana Julia Castro.

      Curtir

E você, o que acha?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s